Nossa Senhora das Graças

Oração à Nossa Senhora das Graças

“Ó Imaculada Virgem Mãe de Deus e nossa Mãe, ao contemplar-vos de braços abertos derramando graças sobre os que vos pedem, cheios de confiança na vossa poderosa intercessão, inúmeras vezes manifestada pela Medalha Milagrosa, embora reconhecendo a nossa indignidade por causa de nossas inúmeras culpas, acercamo- nos de vossos pés para vos expor, durante esta oração, as nossas mais prementes necessidades:

(pedir a graça que deseja alcançar).

Concedei, pois, ó Virgem da Medalha Milagrosa, este favor que confiantes vos solicitamos, para maior Glória de Deus, engrandecimento do vosso nome, e o bem de nossas almas. E para melhor servirmos ao vosso Divino Filho, inspirai-nos profundo ódio ao pecado e dai-nos coragem de nos afirmar sempre como verdadeiros cristãos.”


Conheça a história de Nossa Senhora das Graças

A Nossa Senhora das Graças e a Medalha Milagrosa teve início com as aparições da Virgem Maria à piedosa irmã Catarina Labouré, em 1830, foram três aparições no convento das Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, em Paris, na França.

A primeira aparição ocorreu na noite da festa de São Vicente de Paula. A noite ao adormecer e antes que tivesse passado muito tempo foi despertada por uma luz brilhante e uma voz infantil que dizia: “Irmã Labouré, vem à capela; a Virgem Maria te aguarda”. Catarina então levantou-se depressa e dirigiu-se à capela, que estava aberta e toda iluminada. Ajoelhou-se junto ao altar e logo viu a Virgem sentada na cadeira da superiora, rodeada por um esplendor de luz. A voz continuou: “A Santíssima Virgem Maria deseja falar-te”. Catarina adiantou-se e ajoelhou-se aos pés da Virgem, colocando suas mãos sobre seu colo, e Maria lhe disse:

“Deus deseja te encarregar de uma missão. Tu encontrarás oposição, mas não temas, terás a graça de poder fazer todo o necessário. Conta tudo a teu confessor. Os tempos estão difíceis para a França e para o mundo. Vai ao pé do altar, graças serão derramadas sobre todos, grandes e pequenos, e especialmente sobre os que as buscarem. Terás a proteção de Deus e de São Vicente, e meus olhos estarão sempre sobre ti. Haverá muitas perseguições, a cruz será tratada com desprezo, será derrubada e o sangue correrá”. Depois de falar por mais algum tempo, a Virgem desapareceu. Guiada pelo anjinho, Catarina deixou a capela e voltou para seu quarto.

Na segunda aparição, a Santíssima Virgem mandou que fossem cunhadas medalhas, conforme as visões concedidas a Catarina. Com a aprovação eclesiástica, as medalhas foram confeccionadas e distribuídas, inicialmente na França, e depois pelo mundo todo.

A devoção a Nossa Senhora das Graças e a Medalha Milagrosa, como ficou popularmente conhecida entre o povo de Deus, espalhou-se rapidamente, bem como os milagres e prodígios, conforme prometeu a Virgem Maria àquelas pessoas que usarem devotamente a sua medalha: “Todos os que a usarem, trazendo-a ao pescoço, receberão grandes graças”

Em dezembro de 1830, Nossa Senhora apareceu pela terceira e última vez a Santa Catarina. A vidente contemplou a Rainha do Universo, novamente vestida de branco, segurando um globo de ouro encimado por uma pequena Cruz. Dos seus anéis, ricamente ornados de pedras preciosas, jorravam, com intensidades diferentes, a mesma luz, radiosa como a do sol.

Essa imagem dos anéis luminosos, que se repetiu na terceira aparição, ajuda-nos a compreender que Deus quer derramar abundantes graças sobre nós por meio da devoção a Nossa Senhora. Muitas graças são derramadas sobre aquelas pessoas que as pedem com confiança a Santíssima Virgem. Mas, ao mesmo tempo, os anéis apagados, dos quais não saía luz alguma, simbolizam aquelas pessoas que por escrúpulos, ou por falta de confiança, ou, o que é pior, por falta de amor, deixam de pedir graças a Mãe de Deus.

As graças que esquecemos de pedir

Havia anéis dos quais não saíam raios. Esses simbolizam as graças que esquecemos de pedir a Santíssima Virgem.

Nesse momento, formou-se um quadro oval em torno de Nossa Senhora, que tinha no alto as seguintes palavras: “Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós”, escritas em letras de ouro. Foi, então, que a religiosa ouviu uma voz que dizia:

“Fazei cunhar uma medalha conforme esse modelo.Todos os que a usarem, trazendo-a ao pescoço, receberão grandes graças. Essas serão abundantes para aqueles que a usarem com confiança”.

Logo depois, o quadro girou e Catarina viu o outro lado da medalha, que tinha no centro, o monograma da Santíssima Virgem, composto pela letra “M” e uma cruz acima, que tinha uma barra em sua base. Embaixo, estavam o Coração de Jesus, coroado de espinhos, e o de Maria, transpassado por uma espada.

Conforme as promessas de Nossa Senhora, abundantes graças derramaram-se sobre as pessoas que usavam com devoção e confiança a medalha, tanto que, essa passou a ser chamada pelo povo cristão de “Medalha Milagrosa”.

Devoção ao Imaculado Coração para a salvação do Brasil

Em Cimbres,na cidade de Pesqueira, no estado de Pernambuco, Nossa Senhora pede novamente a devoção ao seu Imaculado Coração, mas, dessa vez, para a salvação do Brasil e dos brasileiros frente ao Comunismo. De modo semelhante ao que aconteceu com a devoção ao Sagrado Coração de Jesus, a devoção ao Imaculado Coração de Maria, também, tornou-se uma prática ininterrupta na vida de muitas pessoas.

Atualmente, a devoção a Nossa Senhora das Graças e a Medalha Milagrosa está presente no mundo inteiro devido à propagação da devoção realizada pelos Padres Lazaristas, pelas Filhas da Caridade e por toda a Família Vicentina.

A devoção a Nossa Senhora das Graças é profundamente eucarística e, ao mesmo tempo, mariana. Por isso, ela ajuda-nos a viver o equilíbrio fundamental entre a vida sacramental, especialmente na participação da Eucaristia, e a devoção a Santíssima Virgem.

Ainda hoje, a Virgem Maria continua derramando graças abundantes sobre as pessoas que devotamente lhe pedem. Entretanto, lembremos-nos de que, na segunda aparição, a Santíssima Virgem fala dos seus anéis dos quais não partem raios, que simbolizam as graças que esquecemos de lhe pedir.

Isso significa que Nossa Senhora não derrama mais graças sobre nós, porque não recorremos mais a ela. Por isso, propaguemos essa devoção a Mãe do Senhor, especialmente sob o título de Nossa Senhora das Graças, e peçamos sempre a sua intercessão, para que cada vez mais graças se derramem sobre nós, sobre nosso país, sobre todo o mundo, que está sob a sua proteção.


Fontes: Formação Canção Nova ( https://formacao.cancaonova.com/nossa-senhora/devocao-nossa-senhora/as-mensagens-de-nossa-senhora-das-gracas/ ) e Wikipedia ( https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_das_Gra%C3%A7as )

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *